English-Video.net comment policy

The comment field is common to all languages

Let's write in your language and use "Google Translate" together

Please refer to informative community guidelines on TED.com

TED2013

John McWhorter: Txtng is killing language. JK!!!

John McWhorter: John McWhorter: As mensagens de texto estão a matar a linguagem. JK!!!

Filmed:
2,444,994 views

Será que as mensagens de texto [SMS] significam a morte da boa capacidade de escrita? John McWhorter afirma que há muito mais nas mensagens de texto — linguística e culturalmente — do que parece, e tudo isso é uma boa notícia.

- Linguist
Linguist John McWhorter thinks about language in relation to race, politics and our shared cultural history. Full bio

00:12
We always hearouvir that textingmensagens de texto is a scourgeflagelo.
Estamos sempre a ouvir dizer que
os SMS são um flagelo.
00:15
The ideaidéia is that textingmensagens de texto spellsfeitiços the declinedeclínio and fallcair
A ideia é que os SMS
significam o declínio e a queda
00:20
of any kindtipo of seriousgrave literacyalfabetização, or at leastpelo menos writingescrevendo abilityhabilidade,
de qualquer tipo de instrução séria,
ou pelo menos da capacidade de escrita,
00:23
amongentre youngjovem people in the UnitedUnidos StatesEstados-Membros
entre os jovens nos EUA
00:26
and now the wholetodo worldmundo todayhoje.
e agora no mundo inteiro.
00:28
The factfacto of the matterimportam is that it just isn't trueverdade,
A questão é que isso
simplesmente não é verdade.
00:32
and it's easyfácil to think that it is trueverdade,
É fácil pensar que é verdade
00:34
but in orderordem to see it in anotheroutro way,
mas, para vermos isto de outra maneira,
00:36
in orderordem to see that actuallyna realidade textingmensagens de texto is a miraculousmilagroso thing,
para vermos que os SMS
são uma coisa milagrosa,
00:40
not just energeticenergético, but a miraculousmilagroso thing,
não apenas energética,
mas uma coisa milagrosa,
00:43
a kindtipo of emergentemergent complexitycomplexidade
um tipo de complexidade emergente
00:44
that we're seeingvendo happeningacontecendo right now,
que estamos a ver a acontecer agora,
00:47
we have to pullpuxar the cameraCâmera back for a bitpouco
temos que recuar um pouco
00:49
and look at what languagelíngua really is,
e ver o que é realmente a lInguagem.
00:52
in whichqual casecaso, one thing that we see
Uma coisa que veremos
00:55
is that textingmensagens de texto is not writingescrevendo at all.
é que os SMS não são
nenhuma forma de escrita.
00:59
What do I mean by that?
O que é que eu quero dizer com isso?
01:01
BasicallyBasicamente, if we think about languagelíngua,
Se pensarmos na linguagem,
01:04
languagelíngua has existedexistia for perhapspossivelmente 150,000 yearsanos,
a linguagem já existe
há talvez 150 mil anos,
01:07
at leastpelo menos 80,000 yearsanos,
pelo menos há 80 000 anos,
01:09
and what it arosesurgiu as is speechdiscurso. People talkedfalou.
e surgiu como fala.
As pessoas falavam.
01:14
That's what we're probablyprovavelmente geneticallygeneticamente specifiedespecificado for.
Provavelmente fomos programados
geneticamente para isso.
01:17
That's how we use languagelíngua mosta maioria.
É assim que usamos
normalmente a linguagem.
01:19
WritingEscrita is something that cameveio alongao longo much latermais tarde,
A escrita veio muito mais tarde
01:22
and as we saw in the last talk,
e, como vimos na última palestra,
01:24
there's a little bitpouco of controversycontrovérsia as to exactlyexatamente when that happenedaconteceu,
há alguma controvérsia sobre
quando é que isso aconteceu
01:27
but accordingde acordo com to traditionaltradicional estimatesestimativas,
mas, segundo estimativas tradicionais,
01:29
if humanityhumanidade had existedexistia for 24 hourshoras,
se a humanidade tivesse existido 24 horas,
01:33
then writingescrevendo only cameveio alongao longo at about 11:07 p.m.
a escrita só teria aparecido
por volta das 11:07 da noite.
01:38
That's how much of a latterlyultimamente thing writingescrevendo is.
É o quão tardia é a escrita.
01:42
So first there's speechdiscurso, and then writingescrevendo comesvem alongao longo
Primeiro há o discurso,
e só depois surge a escrita
01:45
as a kindtipo of artificeartifício.
como uma espécie de artifício.
01:47
Now don't get me wrongerrado, writingescrevendo has certaincerto advantagesvantagens.
Não me interpretem mal,
a escrita tem certas vantagens.
01:51
When you writeEscreva, because it's a consciousconsciente processprocesso,
Quando escrevemos
— como é um processo consciente,
porque podemos olhar para trás —
01:53
because you can look backwardspara trás,
01:56
you can do things with languagelíngua that are much lessMenos likelyprovável
podemos fazer com a linguagem
coisas muito menos prováveis
01:58
if you're just talkingfalando.
do que se estivermos apenas a conversar.
02:01
For exampleexemplo, imagineImagine a passagepassagem from EdwardEdward Gibbon'sGibbon
Por exemplo, imaginem uma passagem
de Edward Gibbon de
"O Declínio e Queda do Império Romano":
02:05
"The DeclineDeclínio and FallOutono of the RomanRoman EmpireImpério:"
02:09
"The wholetodo engagementnoivado lasteddurou aboveacima twelvedoze hourshoras,
"O recontro demorou mais de doze horas,
"até que a retirada gradual dos persas
02:12
tillaté the graduategraduado retreatRetiro of the PersiansPersas was changedmudou
"se tornou numa fuga desordenada,
cujo vergonhoso exemplo
02:14
into a disorderlydesordeiro flightvoar, of whichqual the shamefuluma vergonha exampleexemplo
"foi dado pelos principais chefes
e pelo próprio Surenas."
02:17
was givendado by the principalDiretor leaderslíderes and the SurenasSurenas himselfele mesmo."
02:20
That's beautifulbonita, but let's facecara it, nobodyninguém talksfala that way.
Isto é lindo, mas temos que reconhecer,
ninguém fala assim.
(Risos)
02:24
Or at leastpelo menos, they shouldn'tnão deveria if they're interestedinteressado
Ou, pelo menos, não o devia fazer
se tivesse algum interesse
em se reproduzir.
02:28
in reproducingreprodução. That --
02:31
(LaughterRiso)
(Risos)
02:33
is not the way any humanhumano beingser speaksfala casuallycasualmente.
Esta não é a forma como um
ser humano fala habitualmente.
02:36
CasualCasuais speechdiscurso is something quitebastante differentdiferente.
O discurso habitual é uma coisa
completamente diferente.
02:39
LinguistsLinguistas have actuallyna realidade shownmostrando
Os linguistas mostraram
02:41
that when we're speakingFalando casuallycasualmente in an unmonitorednão monitorado way,
que, quando falamos habitualmente
de forma não controlada,
02:43
we tendtende to speakfalar in wordpalavra packetspacotes of maybe
temos a tendência de falar
em grupos de palavras
02:46
sevenSete to 10 wordspalavras.
de sete a dez palavras, quando muito.
02:48
You'llVocê vai noticeaviso prévio this if you ever have occasionocasião to recordregistro
Podem verificar isso
se tiverem oportunidade
de gravarem as vossas conversas
ou as de um grupo de pessoas.
02:51
yourselfvocê mesmo or a groupgrupo of people talkingfalando.
02:54
That's what speechdiscurso is like.
É isso que é o discurso.
02:55
SpeechDiscurso is much loosermais solto. It's much more telegraphictelegráfica.
O discurso é muito mais flexível.
É muito mais telegráfico.
02:59
It's much lessMenos reflectivereflexivo -- very differentdiferente from writingescrevendo.
É muito menos reflexivo,
muito diferente da escrita.
Naturalmente,
temos tendência para pensar
03:03
So we naturallynaturalmente tendtende to think, because we see languagelíngua
que, como vemos tantas vezes
a linguagem escrita,
03:06
writtenescrito so oftenfrequentemente, that that's what languagelíngua is,
é isso que a linguagem é,
mas a linguagem é a fala.
03:08
but actuallyna realidade what languagelíngua is, is speechdiscurso. They are two things.
São duas coisas.
03:12
Now of coursecurso, as historyhistória has gonefoi by,
À medida que a história avança,
03:16
it's been naturalnatural for there to be a certaincerto amountmontante of bleedsangramento
tem sido natural haver uma certa mistura
03:18
betweenentre speechdiscurso and writingescrevendo.
entre a fala e a escrita.
03:21
So, for exampleexemplo, in a distantdistante eraera now,
Por exemplo,
numa era distante da atualidade,
03:26
it was commoncomum when one gavedeu a speechdiscurso
era comum, quando se fazia um discurso,
03:29
to basicallybasicamente talk like writingescrevendo.
falar como se fosse escrita.
03:32
So I mean the kindtipo of speechdiscurso that you see someonealguém givingdando
Estou a falar do tipo de discurso
que vemos num filme antigo,
03:34
in an oldvelho moviefilme where they clearClaro theirdeles throatgarganta, and they go,
em que alguém limpa a garganta e diz:
03:37
"AhemAham, ladiessenhoras and gentlemencavalheiros," and then they speakfalar
"Senhoras e senhores" e, em seguida,
03:39
in a certaincerto way whichqual has nothing to do with casualcasual speechdiscurso.
fala duma maneira que nada tem a
ver com o discurso informal.
03:43
It's formalformal. It usesusa long sentencesfrases like this GibbonGibbon one.
É formal. Usa frases longas
como aquela de Gibbon.
03:46
It's basicallybasicamente talkingfalando like you writeEscreva, and so, for exampleexemplo,
É falar como se escreve.
Por exemplo, ultimamente
temos pensado muito em Lincoln,
03:50
we're thinkingpensando so much these daysdias about LincolnLincoln
03:52
because of the moviefilme.
por causa do filme.
03:55
The GettysburgGettysburg AddressEndereço was not the maina Principal mealrefeição of that eventevento.
O Discurso de Gettysburg não foi
o principal desse acontecimento.
03:58
For two hourshoras before that, EdwardEdward EverettEverett spokefalou
Antes dele, durante duas horas,
Edward Everette falou sobre um tema
04:02
on a topictema that, franklyfrancamente, cannotnão podes engagese empenhar us todayhoje
que, francamente,
não nos interessa muito hoje
04:05
and barelymal did then.
e na altura, pouco interessava.
04:06
The pointponto of it was to listen to him
O objetivo era ouvi-lo a falar
como se estivesse a escrever.
04:09
speakingFalando like writingescrevendo.
As pessoas comuns ficaram
a ouvi-lo durante duas horas.
04:10
OrdinaryOrdinário people stoodficou and listenedOuvido to that for two hourshoras.
04:13
It was perfectlyperfeitamente naturalnatural.
Era perfeitamente natural.
04:14
That's what people did then, speakingFalando like writingescrevendo.
Era o que as pessoas faziam,
falar como escreviam.
04:17
Well, if you can speakfalar like writingescrevendo,
Se podemos falar como se escrevêssemos,
04:19
then logicallylogicamente it followssegue that you mightpoderia want to alsoAlém disso
logicamente, segue-se que
também podemos, por vezes,
querer escrever como falamos.
04:23
sometimesas vezes writeEscreva like you speakfalar.
04:26
The problemproblema was just that in the materialmaterial,
O problema era que,
no sentido mecânico, material,
04:28
mechanicalmecânico sensesentido, that was hardermais difíceis back in the day
isso era mais difícil naquele tempo
04:31
for the simplesimples reasonrazão that materialsmateriais don't lendemprestar themselvessi mesmos to it.
pela simples razão de que os materiais
não se prestavam a isso.
04:34
It's almostquase impossibleimpossível to do that with your handmão
É quase impossível fazer isso com a mão,
04:37
exceptexceto in shorthandforma abreviada, and then communicationcomunicação is limitedlimitado.
exceto na estenografia,
mas aí a comunicação fica limitada.
04:40
On a manualmanual typewritermáquina de escrever it was very difficultdifícil,
Numa máquina de escrever manual,
era muito difícil,
04:42
and even when we had electricelétrico typewritersmáquinas de escrever,
nas máquinas de escrever elétricas também,
04:45
or then computercomputador keyboardsteclados, the factfacto is
ou mesmo nos teclados de computador.
Mesmo que possamos digitar tão depressa
como o ritmo da fala,
04:47
that even if you can typetipo easilyfacilmente enoughsuficiente to keep up
04:49
with the paceritmo of speechdiscurso, more or lessMenos, you have to have
temos que ter alguém que receba
a nossa mensagem rapidamente.
04:52
somebodyalguém who can receivereceber your messagemensagem quicklyrapidamente.
04:54
OnceVez you have things in your pocketbolso that can receivereceber that messagemensagem,
Quando temos uma coisa no bolso
que pode receber essa mensagem,
04:58
then you have the conditionscondições that allowpermitir
já temos as condições que permitem
05:00
that we can writeEscreva like we speakfalar.
podermos escrever como falamos.
05:04
And that's where textingmensagens de texto comesvem in.
É aí que entram os SMS.
05:07
And so, textingmensagens de texto is very loosesolto in its structureestrutura.
Os SMS têm uma estrutura muito solta.
05:11
No one thinksacha about capitalcapital letterscartas or punctuationPontuação when one textstextos,
Ninguém pensa em letras maiúsculas
ou pontuação quando escreve um SMS,
05:15
but then again, do you think about those things when you talk?
mas será que pensamos
nessas coisas quando falamos?
05:17
No, and so thereforeassim sendo why would you when you were textingmensagens de texto?
Não! Então porque é que havemos de pensar
quando estamos a enviar um SMS?
05:21
What textingmensagens de texto is, despiteapesar de the factfacto that it involvesenvolve
Um SMS, apesar de envolver
a mecânica bruta
05:24
the brutebruta mechanicsmecânica of something that we call writingescrevendo,
daquilo a que chamamos escrita,
05:27
is fingereddedos speechdiscurso. That's what textingmensagens de texto is.
é um discurso feito com os dedos.
É isso que é um SMS.
05:30
Now we can writeEscreva the way we talk.
Agora já podemos escrever
da forma como falamos.
05:34
And it's a very interestinginteressante thing, but neverthelessmesmo assim
É uma coisa muito interessante.
No entanto é fácil pensar
que representa um certo declínio.
05:36
easyfácil to think that still it representsrepresenta some sortordenar of declinedeclínio.
05:41
We see this generalgeral bagginessbagginess of the structureestrutura,
Vemos esta frouxidão geral da estrutura,
05:45
the lackfalta of concernpreocupação with rulesregras and the way that we're used to
a falta de preocupação com regras
e com a forma como aprendemos
no quadro negro,
05:48
learningAprendendo on the blackboardquadro-negro, and so we think
e por isso achamos
que há qualquer coisa errada.
05:50
that something has gonefoi wrongerrado.
05:53
It's a very naturalnatural sensesentido.
É um sentimento muito natural.
05:56
But the factfacto of the matterimportam is that what is going on
Mas o que está a acontecer
06:00
is a kindtipo of emergentemergent complexitycomplexidade.
é um tipo de complexidade emergente.
06:04
That's what we're seeingvendo in this fingereddedos speechdiscurso.
É o que estamos a ver
neste discurso feito com os dedos.
06:07
And in orderordem to understandCompreendo it, what we want to see
A fim de entendê-lo,
neste novo tipo de linguagem,
06:10
is the way, in this newNovo kindtipo of languagelíngua,
queremos ver a forma
06:15
there is newNovo structureestrutura comingchegando up.
da nova estrutura que está a chegar.
06:18
And so, for exampleexemplo, there is in textingmensagens de texto a conventionconvenção,
Por exemplo, existe uma convenção nos SMS
06:24
whichqual is LOLLOL.
que é LOL.
Geralmente pensamos que LOL
06:27
Now LOLLOL, we generallygeralmente think of
06:29
as meaningsignificado "laughingrindo out loudalto."
significa "rir alto"
("laughing out loud").
06:32
And of coursecurso, theoreticallyteoricamente, it does,
Claro, teoricamente, significa.
06:34
and if you look at olderMais velho textstextos, then people used it
Se olharmos para os SMS mais antigos,
06:37
to actuallyna realidade indicateindicar laughingrindo out loudalto.
as pessoas usavam-na
para indicar "rir alto".
06:39
But if you texttexto now, or if you are someonealguém who
Mas se a enviarmos agora numa mensagem,
ou se estivermos cientes do substrato
dos SMS, tal como passaram a ser,
06:43
is awareconsciente of the substratesubstrato of textingmensagens de texto the way it's becometornar-se,
06:47
you'llvocê vai noticeaviso prévio that LOLLOL
percebemos que LOL
deixou de significar "rir alto".
06:48
does not mean laughingrindo out loudalto anymorenão mais.
06:51
It's evolvedevoluiu into something that is much subtlermais sutil.
Evoluiu para uma coisa muito mais subtil.
06:54
This is an actualreal texttexto that was donefeito
Este é um SMS real que foi feito
06:58
by a non-maleNão-homens personpessoa of about 20 yearsanos oldvelho
por uma rapariga de cerca de 20 anos
há pouco tempo.
07:02
not too long agoatrás.
07:03
"I love the fontfonte you're usingusando, btwBTW."
"Adoro a fonte que estás a usar".
07:06
JulieJulie: "lollol thanksobrigado gmailgmail is beingser slowlento right now"
Julie: "lol obrigada
gmail agora está a ser lento"
07:10
Now if you think about it, that's not funnyengraçado.
Pensando bem, não tem graça nenhuma.
07:12
No one'suns laughingrindo. (LaughterRiso)
Ninguém está a rir.
(Risos)
07:15
And yetainda, there it is, so you assumeassumir
Mas está lá, por isso assumimos
que houve qualquer contratempo.
07:16
there's been some kindtipo of hiccupSoluço.
07:18
Then SusanSusan saysdiz "lollol, I know,"
Depois Susan diz: "lol, eu sei,"
07:20
again more guffawingguffawing than we're used to
— mais gargalhadas
do que estamos habituados —
07:22
when you're talkingfalando about these inconveniencesinconvenientes.
quando estamos a falar
de inconvenientes como estes.
07:25
So JulieJulie saysdiz, "I just sentenviei you an emailo email."
Depois, Julie diz:
"Acabei de enviar um e-mail."
07:28
SusanSusan: "lollol, I see it."
Susan: "lol, estou a vê-lo."
07:30
Very funnyengraçado people, if that's what LOLLOL meanssignifica.
Pessoas muito divertidas,
se é isso que LOL significa.
07:33
This JulieJulie saysdiz, "So what's up?"
A Julie diz: "Então, o que se passa?"
07:35
SusanSusan: "lollol, I have to writeEscreva a 10 pagepágina paperpapel."
Susan: "lol, tenho que escrever
um artigo de 10 páginas."
07:38
She's not amusedse divertiu. Let's think about it.
Não está nada divertida. Pensemos nisso.
07:40
LOLLOL is beingser used in a very particularespecial way.
LOL está a ser usado
de forma muito específica.
07:43
It's a markermarcador of empathyempatia. It's a markermarcador of accommodationAlojamento.
É um marcador de empatia.
É um marcador de entendimento.
07:47
We linguistslinguistas call things like that pragmaticpragmática particlespartículas.
Nós, os linguistas chamamos
a estas coisas "partículas pragmáticas".
07:50
Any spokenfalada languagelíngua that's used by realreal people has them.
Existem em qualquer língua falada
usada por pessoas reais.
07:54
If you happenacontecer to speakfalar JapaneseJaponês, think about
Se por acaso, falam japonês,
pensem na pequena palavra "ne"
07:55
that little wordpalavra "nene" that you use at the endfim of a lot of sentencesfrases.
que se usa no fim duma série de frases.
07:59
If you listen to the way blackPreto youthjuventude todayhoje speakfalar,
Se ouvirem como falam hoje
os jovens negros,
08:01
think about the use of the wordpalavra "yoEi."
pensem no uso da palavra "yo".
08:03
WholeToda dissertationsDissertações could be writtenescrito about it,
Podiam escrever-se
dissertações inteiras sobre isso
08:05
and probablyprovavelmente are beingser writtenescrito about it.
e, provavelmente, já estão a ser escritas.
08:07
A pragmaticpragmática particlepartícula, that's what LOLLOL has graduallygradualmente becometornar-se.
Uma partícula pragmática, foi nisso
que LOL se transformou progressivamente.
08:11
It's a way of usingusando the languagelíngua betweenentre actualreal people.
É uma maneira de usar
a linguagem entre pessoas reais.
08:15
AnotherOutro exampleexemplo is "slashbarra."
Outro exemplo é a barra diagonal (/).
08:18
Now, we can use slashbarra in the way that we're used to,
Podemos usar a barra da forma habitual,
08:21
alongao longo the lineslinhas of, "We're going to have
como na frase
"Vamos ter uma sessão
de reunião/rede social "
08:23
a party-slash-networkingfesta-barra-networking sessionsessão."
É mais ou menos nisto que estamos..
08:26
That's kindtipo of like what we're at.
08:28
SlashBarra is used in a very differentdiferente way
A barra é utilizada
de forma muito diferente
08:32
in textingmensagens de texto amongentre youngjovem people todayhoje.
nas mensagens de texto
entre os jovens de hoje.
08:35
It's used to changemudança the scenecena.
É usada para mudra a cena.
08:37
So for exampleexemplo, this SallySally personpessoa saysdiz,
Assim, por exemplo, Sally diz:
"Preciso de encontrar alguém
com quem descontrair"
08:40
"So I need to find people to chillFica frio with"
08:41
and JakeJake saysdiz, "HahaHaha" --
e Jake diz: "Haha"
08:43
you could writeEscreva a dissertationdissertação about "HahaHaha" too, but we don't have time for that —
— também se podia fazer uma dissertação
sobre "Haha" mas não há tempo —
08:46
"HahaHaha so you're going by yourselfvocê mesmo? Why?"
"Haha, então vais sozinha? Porquê?"
08:48
SallySally: "For this summerverão programprograma at NYUNYU."
Sally: "Para o programa
de verão na Universidade de NY"
08:51
JakeJake: "HahaHaha. SlashBarra I'm watchingassistindo this videovídeo with sunssóis playersjogadoras
Jake: "Haha. Barra. Estou a ver um vídeo
com os jogadores dos Suns
08:54
tryingtentando to shootatirar with one eyeolho."
"a tentar marcar à ceguinha. "
08:56
The slashbarra is interestinginteressante.
A barra é interessante.
08:57
I don't really even know what JakeJake is talkingfalando about after that,
Eu não sei do que é que Jake
está a falar, depois da barra,
09:00
but you noticeaviso prévio that he's changingmudando the topictema.
mas percebe-se
que ele está a mudar de assunto.
09:05
Now that seemsparece kindtipo of mundanemundano,
Isto parece um bocado prosaico,
09:07
but think about how in realreal life,
mas pensem como, na vida real,
09:08
if we're havingtendo a conversationconversação and we want to changemudança the topictema,
se estamos numa conversa
e queremos mudar de tópico,
09:11
there are waysmaneiras of doing it gracefullygraciosamente.
há formas de o fazer com elegância.
09:12
You don't just zipfecho eclair right into it.
Não podemos mudar bruscamente.
09:14
You'llVocê vai patpat your thighscoxas and look wistfullymelancolicamente off into the distancedistância,
Descruzamos as pernas,
olhamos sonhadoramente para longe,
09:18
or you'llvocê vai say something like, "HmmHmm, makesfaz com que you think --"
ou dizemos: "Hmm, isso faz-me pensar..."
09:22
when it really didn't, but what you're really --
quando, na verdade, não fez nada...
09:25
(LaughterRiso) —
(Risos)
09:27
what you're really tryingtentando to do is changemudança the topictema.
mas o que estamos a tentar fazer
é mudar de tópico.
09:30
You can't do that while you're textingmensagens de texto,
Não podemos fazer isso
quando estamos a trocar SMS.
09:31
and so waysmaneiras are developingem desenvolvimento of doing it withindentro this mediummédio.
Por isso estão a aparecer
maneiras de fazê-lo neste suporte.
09:35
All spokenfalada languageslínguas have what a linguistlinguista callschamadas
Todas as linguagens têm
o que um linguista chama
09:37
a newNovo informationem formação markermarcador -- or two, or threetrês.
de "um novo marcador de informação"
— ou dois ou três.
Os SMS criaram um com esta barra.
09:41
TextingMensagens de texto has developeddesenvolvido one from this slashbarra.
09:45
So we have a wholetodo batterybateria of newNovo constructionsconstruções
Portanto, temos toda uma bateria
de novas construções
09:48
that are developingem desenvolvimento, and yetainda it's easyfácil to think,
que estão a aparecer.
Contudo é fácil pensar
que ainda há qualquer coisa errada.
09:51
well, something is still wrongerrado.
09:53
There's a lackfalta of structureestrutura of some sortordenar.
Há uma certa falta de estrutura.
09:57
It's not as sophisticatedsofisticado
Não é tão sofisticada como a linguagem
do The Wall Street Journal.
09:59
as the languagelíngua of The WallParede StreetRua JournalDiário.
A questão é:
10:01
Well, the factfacto of the matterimportam is,
10:03
look at this personpessoa in 1956,
olhem para esta pessoa em 1956
10:05
and this is when textingmensagens de texto doesn't existexistir,
— nessa altura
não havia mensagens de texto.
10:08
"I Love LucyLucy" is still on the airar.
"I Love Lucy" ainda aparece na TV.
10:09
"ManyMuitos do not know the alphabetalfabeto or multiplicationmultiplicação tablemesa,
[Professora de inglês]: "Muitos não sabem
o alfabeto ou a tabuada,
10:13
cannotnão podes writeEscreva grammaticallygramaticalmente -- "
"não escrevem gramaticalmente".
10:14
We'veTemos heardouviu that sortordenar of thing before,
Já ouvíamos este tipo de coisas antes,
não apenas em 1956.
10:17
not just in 1956. 1917, ConnecticutConnecticut schoolteacherprofessora.
1917, professora em Connecticut .
10:21
1917. This is the time when we all assumeassumir
1917. "Este é o momento
em que todos nós assumimos
10:23
that everything somehowde alguma forma in termstermos of writingescrevendo was perfectperfeito
"que, de certa forma,
em termos de escrita, tudo era perfeito"
10:27
because the people on "DowntonDownton AbbeyAbadia" are articulatearticular,
— porque as pessoas em "Downtown Abbey"
são articuladas,
10:29
or something like that.
ou qualquer coisa assim.
10:30
So, "From everycada collegeFaculdade in the countrypaís goesvai up the crychorar,
"De todas as escolas do país sobe o grito:
10:33
'Our freshmencalouros can't spellfeitiço, can't punctuatepontuam.'"
"Os nossos caloiros não sabem soletrar,
não sabem pontuação", etc.
10:36
And so on. You can go even furthermais distante back than this.
Ainda podemos recuar mais.
10:38
It's the PresidentPresidente of HarvardHarvard. It's 1871.
Este é o presidente de Harvard, em 1871.
10:41
There's no electricityeletricidade. People have threetrês namesnomes.
Não havia eletricidade.
As pessoas tinham três nomes.
10:44
"BadMau spellingortografia,
"Má ortografia,
"incorreção bem como falta de elegância
de expressão na escrita".
10:46
incorrectnessincorrecções as well as inelegancedeselegância of expressionexpressão in writingescrevendo."
10:50
And he's talkingfalando about people who are otherwisede outra forma
Está a falar de pessoas que, no resto,
estão bem preparadas
para os estudos universitários.
10:52
well preparedpreparado for collegeFaculdade studiesestudos.
10:54
You can go even furthermais distante back.
Podemos ir ainda mais longe.
10:56
1841, some long-lostPerdido há muito tempo superintendentSuperintendente of schoolsescolas is upsetchateado
Em 1841, um supervisor, há muito retirado
da escolar, está preocupado
10:59
because of what he has for a long time "notedNote-se with regretme arrependo
por causa de "há muito
que observo com pesar
11:03
the almostquase entireinteira neglectnegligência of the originaloriginal" blahbla blahbla blahbla blahbla blahbla.
a quase total negligência do antigo...",
blá, blá, blá, blá, blá.
11:06
Or you can go all the way back to 63 A.D. -- (LaughterRiso) --
Ou podemos recuar até ao ano 63.
(Risos)
11:11
and there's this poorpobre man who doesn't like the way
Temos este pobre homem que não gosta
da forma como as pessoas falam o latim.
11:14
people are speakingFalando LatinLatino.
11:15
As it happensacontece, he was writingescrevendo about what had becometornar-se FrenchFrancês.
Acontece que ele estava a escrever
sobre o que iria ser o francês.
11:18
And so, there are always — (LaughterRiso) (ApplauseAplausos) —
(Risos)
(Aplausos)
Há sempre pessoas
que se preocupam com estas coisas
11:25
there are always people worryingpreocupante about these things
11:27
and the planetplaneta somehowde alguma forma seemsparece to keep spinningfiação.
mas o planeta continua a girar na mesma.
11:30
And so, the way I'm thinkingpensando of textingmensagens de texto these daysdias is
Aquilo que eu penso
sobre os SMS
é que o que estamos a ver
é uma nova forma de escrita
11:35
that what we're seeingvendo is a wholetodo newNovo way of writingescrevendo
11:38
that youngjovem people are developingem desenvolvimento,
que os jovens estão a criar,
11:40
whichqual they're usingusando alongsideao lado de theirdeles ordinarycomum writingescrevendo skillsHabilidades,
que estão a usar, juntamente
com a sua capacidade de escrita habitual.
11:44
and that meanssignifica that they're ablecapaz to do two things.
Isso significa que eles conseguem
fazer as duas coisas.
11:47
IncreasingAumentando evidenceevidência is that beingser bilingualbilingue
Há cada vez mais indícios
de que ser bilingue
é cognitivamente benéfico.
11:50
is cognitivelycognitivamente beneficialbenéfico.
11:52
That's alsoAlém disso trueverdade of beingser bidialectalbidialectal.
Isso também é verdade
quanto a ser bidialetal.
11:54
That's certainlyCertamente trueverdade of beingser bidialectalbidialectal in termstermos of your writingescrevendo.
e é verdade quanto a ser dialetal
em termos de escrita.
11:57
And so textingmensagens de texto actuallyna realidade is evidenceevidência of a balancingbalanceamento de actAja
Assim, os SMS são uma prova
dum ato de equilíbrio
12:02
that youngjovem people are usingusando todayhoje, not consciouslyconscientemente, of coursecurso,
que os jovens estão a usar hoje em dia,
não conscientemente, claro,
12:05
but it's an expansionexpansão of theirdeles linguisticlinguístico repertoirerepertório.
mas é uma expansão
do seu repertório linguístico.
12:09
It's very simplesimples.
É muito simples.
12:10
If somebodyalguém from 1973 lookedolhou at
Se alguém, de 1973, olhasse
para um quadro de mensagens
do dormitório em 1993,
12:14
what was on a dormitorydormitório messagemensagem boardborda in 1993,
a gíria teria mudado um pouco
desde a época de "Love Story",
12:18
the slangGíria would have changedmudou a little bitpouco
12:20
sinceDesde a the eraera of "Love StoryHistória,"
12:22
but they would understandCompreendo what was on that messagemensagem boardborda.
mas perceberia o que estava
no quadro de mensagens.
12:25
Take that personpessoa from 1993 -- not that long agoatrás,
Agarrem numa pessoa de 1993
— não é assim há muito tempo,
12:28
this is "BillBill and Ted'sDe Ted ExcellentExcelente AdventureAventura" -- those people.
é "A Aventura Fantástica de Bill e Ted".
Agarrem nessas pessoas
e deem-lhes a ler um texto típico
12:31
Take those people and they readler
12:33
a very typicaltípica texttexto writtenescrito by a 20-year-old-ano de idade todayhoje.
escrito hoje por um jovem de 20 anos.
12:36
OftenMuitas vezes they would have no ideaidéia what halfmetade of it meantsignificava
Muitas vezes, eles não fazem ideia
do significado de metade
12:39
because a wholetodo newNovo languagelíngua has developeddesenvolvido
porque se desenvolveu uma nova linguagem
entre os nossos jovens
que fazem uma coisa tão frívola
12:43
amongentre our youngjovem people doing something as mundanemundano
12:45
as what it looksparece like to us when they're battingrebatidas around
como o que nos parece,
quando estão a dedilhar
nos seus pequenos dispositivos.
12:48
on theirdeles little devicesdispositivos.
12:49
So in closingfechando, if I could go into the futurefuturo,
Para terminar, se eu pudesse ir ao futuro,
12:53
if I could go into 2033,
se eu pudesse chegar a 2033,
12:57
the first thing I would askpergunte is whetherse DavidDavid SimonSimon
a primeira coisa que gostava de perguntar
era se David Simon tinha feito
uma sequela de "The Wire".
13:00
had donefeito a sequelsequela to "The WireFio." I would want to know.
(Risos)
13:04
And — I really would askpergunte that —
Gostava de saber. Perguntava mesmo.
13:07
and then I'd want to know actuallyna realidade what was going on on "DowntonDownton AbbeyAbadia."
Depois, gostaria de saber
como ia "Downtown Abbey".
13:10
That'dIsso seria be the secondsegundo thing.
Isso seria a segunda coisa.
13:12
And then the thirdterceiro thing would be,
E a terceira coisa seria:
13:14
please showexposição me a sheaffeixe de of textstextos
"Por favor, mostrem-me
uma mão-cheia de textos
13:18
writtenescrito by 16-year-old-ano de idade girlsmeninas,
escritos por raparigas de 16 anos",
13:19
because I would want to know where this languagelíngua
porque gostava de saber
até onde esta linguagem
13:22
had developeddesenvolvido sinceDesde a our timesvezes,
se tinha desenvolvido
desde os nossos tempos.
13:24
and ideallyidealmente I would then sendenviar them back to you and me now
Idealmente, enviá-los-ia
para vocês e para mim, agora,
13:28
so we could examineexaminar this linguisticlinguístico miraclemilagre
para podermos examinar
esse milagre linguístico
13:30
happeningacontecendo right undersob our nosesnarizes.
a acontecer mesmo
por baixo do nosso nariz.
13:32
Thank you very much.
Muito obrigado.
13:34
(ApplauseAplausos)
(Aplausos)
13:39
Thank you. (ApplauseAplausos)
Obrigado.
(Aplausos)
Translated by Sara Oliveira
Reviewed by Margarida Ferreira

▲Back to top

About the speaker:

John McWhorter - Linguist
Linguist John McWhorter thinks about language in relation to race, politics and our shared cultural history.

Why you should listen

John McWhorter is Associate Professor of English and Comparative Literature at Columbia University, teaching linguistics, Western Civilization and music history. He is a regular columnist on language matters and race issues for Time and CNN, writes for the Wall Street Journal "Taste" page, and writes a regular column on language for The Atlantic. His work also appears in the Washington Post, the Chronicle of Higher Education, Aeon magazine, The American Interest and other outlets. He was Contributing Editor at The New Republic from 2001 until 2014.

McWhorter earned his PhD in linguistics from Stanford University in 1993 and is the author of The Power of BabelDoing Our Own ThingOur Magnificent Bastard TongueThe Language Hoax and most recently Words on the Move and Talking Back, Talking Black. The Teaching Company has released four of his audiovisual lecture courses on linguistics. He guest hosted the Lexicon Valley podcast at Slate during the summer of 2016.

Beyond his work in linguistics, McWhorter is the author of Losing the Race and other books on race. He has appeared regularly on Bloggingheads.TV since 2006, and he produces and plays piano for a group cabaret show, New Faces, at the Cornelia Street Cafe in New York City.

More profile about the speaker
John McWhorter | Speaker | TED.com